Teatro

Trabalhos Teatrais realizados pelo Coletivo Pandemônio



Alguém vai vir (2018) - Feito para o Grupo SER de Teatro, baseado no texto do escritor norueguês Jon Fosse, com intervenções de Mário de Andrade, em seu livro "Amar, verbo intransitivo". Direção e Adaptação de Luigi Paolo, com Shirlei Souza, Erica Alves, Rony Simão e Levi Corrêa no elenco.

Sinopse: Um casal busca a solidão em si, comprando uma casa distante, longe de tudo e todos. Porém, a segurança da chegada de um "alguém" expõe as fragilidades de um relacionamento. 




Luta de Classes (2017) - Também apresentado pela primeira vez no festival Satyrianas, texto e direção de Luigi Paolo, com Levi Corrêa e Leôn Moreno no elenco, a peça era uma intervenção que contava com a participação do público.

Sinopse: A luta de boxe do século. Ganha quem bate mais com a esquerda ou com a direita? Quem está no meio dessa luta? E quem é realmente o perdedor? Quem irá decidir isso é você! 



TransLados (2016) - Apresentado pela primeira vez no tradicional festival Satyrianas em São Paulo, texto e direção de Luigi Paolo, com Anne Bastos e Levi Corrêa. Foi considerada um dos destaques do festival.

Sinopse: Durante uma parada em viagem rumo a lugar algum, duas pessoas discutem a trans-identidade em um ambiente incomum: um mercado clandestino de pessoas.




O Rinoceronte (2016) - Feito para a Cia. Os Hypocritas, de Carapicuíba (SP), durante a criação do núcleo de pesquisa teatral batizado como "Fabryca", juntamente com o diretor Kako Soares. O clássico texto de Eugéne Ionesco foi dirigido por Luigi Paolo, preparação corporal de Fernanda Faran e com grande elenco: Danniela Martins, Derek Carão, Eduarda Julio, Flávio Guedes, Giovanna Bertoluzzi, Igor Kadore, José Paulo Rocha, Levi Corrêa, Nando Rocha, Rodriggo Silva e Luciana Silversong.

Sinopse: A tranquilidade de uma cidade é abalada com um estranho fenômeno: seus habitantes estão virando Rinocerontes. Apenas um boêmio não é afetado, o que faz questionar as motivações por trás destas transformações. 




Matilda (2015) - Feito para a Cia. DUO, de São Paulo, com texto de Anne Bastos, inspirado na Obra de Fernando Veríssimo, direção de Luigi Paolo, com Anne Bastos e Elisa Telles no elenco.

Sinopse: O Encontro casual de duas vizinhas mostra que nada é realmente casual. 




Nossa Senhora Aparecida (2014) - Texto escrito para a Cia. Os Hypocritas, de Carapicuíba (SP), juntamente com o diretor Kako Soares. A temporada 2014 e inicio de 2015 ainda contou com a direção de Luigi Paolo juntamente com Kako Soares. A identidade visual desta temporada (vista na arte do cartaz) também foi criada por Luigi Paolo.

Sinopse: A peça retrata a difícil vida dos moradores de uma comunidade, controlado por um traficante, que têm as suas esperanças renovadas com a chegada de um professor determinado a limpar o beco das drogas.